sábado, 30 de abril de 2016

Mais livros = Mais conhecimento? | A Vida de Estudos do Homem [4]

Ser homem não significa ser um gorila irracional, e o Oficina do Homem é feito para que, entre outros motivos, mais homens saiam desse tipo de pensamento mesquinho e cresçam. Para homens que querem buscar a verdade sobre a sua vida e sobre o mundo a sua volta, começamos a série "a vida de estudos do homem", com dicas semanais de estudos.


Quando imaginamos uma pessoa se dedicando à própria educação, nós a imaginamos lendo. Desde que o número de pessoas alfabetizadas cresceu e os livros se tornaram acessíveis, a ligação desse objeto com aprendizado ficou ainda mais forte. Mas existem exageros nisso. Hoje existe uma certa impressão geral de que os livros são fontes de conhecimento, tesouros por si mesmos. Seria mesmo assim?

1. O que é um livro?

Livros são, basicamente, meios de comunicação. Eles contém códigos que podem ser lidos por qualquer pessoa alfabetizada naquele idioma. 

Todo livro contém um discurso criado por alguém. Um livro de Nietzsche, por exemplo, reúne palavras escritas pelo filósofo e assim transmite a sua mensagem. Cabe ao leitor ler estas palavras da maneira correta e compreender o discurso de forma completa.

Disso nós podemos concluir que o papel do livro, no processo de conhecer algo, é de um meio de acesso a pensamentos de outras pessoas. Pesam aqui a clareza e intenção dos autores e a boa compreensão dos leitores. Sem isso não há a comunicação do discurso para se informar ou aprender algo. 

2. Ler o que?

Dizer que livros são "fontes de conhecimento" é algo muito vago. Existem bons livros, mas também existem péssimos livros. Existem livros que trazem um ótimo discurso, outros trazem péssimas informações (o que ainda pode ser algo útil), outros não trazem nada. Outros livros são muito pouco claros e alguns podem perder seu conteúdo original pela tradução ou adaptação. 


3. Você pode ler muitos bons livros e não aprender nada

Quando alguém diz que tem uma biblioteca enorme e leu muitos livros, não fique tão impressionado. Ler muito é uma coisa boa, mas há como fazer isso sem aprender muito. É comum que se leia sem compreender nada, ou ainda entendendo coisas diferentes. Quem, por exemplo, lê livros de História como quem lê histórias infantis não vai aprender tanto sobre História, não é mesmo?


4. Não ler?

Está claro, afinal, que estantes cheias de livros lidos não significam muito. Isso quer dizer que ler é algo inútil? É claro que não. Isso quer dizer que é necessário um esforço para uma boa leitura e interpretação, além de uma escolha exigente de livros que valham a pena. 

Apesar de muito importantes, os livros também não são os únicos meios de se acessar conhecimento. Considere também, entre outras coisas:
  • Ver vídeos sobre assuntos do seu interesse. 
  • Assistir filmes e documentários para ampliação do imaginário e informação.
  • Ouvir alguém que tenha algo a ensinar.
Folhas de papel com formas impressas não valem nada. O que dá sentido a elas são os conhecimentos que daí podem ser extraídos. Saiba como fazer isso da melhor maneira, e alguns livros serão mesmo tesouros. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem vindo!