quarta-feira, 23 de março de 2016

Como achar a princesa da torre


Falamos muito sobre famílias, mas começar uma não parece tão fácil. Isso presume que o homem tenha uma parceira que seja boa, que ele ame e - impossível! - ela precisa amá-lo também. 

Todo homem pode chegar a temer que nunca vá encontrar alguém assim. Isso é tão marcante para uma vida que muitas histórias buscaram representar esse problema de forma idealizada e romântica, afim de nos ensinar através dos símbolos. A história de Rapunzel é uma delas.

Veja:
Rapunzel mora em uma torre, é solitária e vive esperando que seu amor chegue para resgatá-la. 

Para uma moça, tradicionalmente, o amor vem com a espera. A torre representa sua situação: Ela está presa. Não há portas, só uma janela que lhe traz esperança. 

O cavaleiro, seu grande amor, precisa subir em uma torre alta, sofrer nas mãos de uma bruxa e quase morre para conseguir ficar com a princesa.

O homem virtuoso age para conseguir seu amor. É ele quem enfrenta as dificuldades e toma para si os esforços necessários para resgatar a princesa.


A dinâmica da conquista de um grande amor é exatamente essa: Dela se exige a virtude da paciência. Dele, a coragem

Quer um exemplo de como o conto se relaciona com a realidade? Normalmente, quem tem papel ativo para início de uma relação amorosa, senão o homem? De que parte se cobra presentes, sacrifícios e até mesmo as contas dos restaurantes? É o garoto ou a garota que normalmente dá seu jeito de andar, pedalar ou pegar um ônibus para a casa do seu amor?

É evidente que é do homem que se espera que venham atitudes de conquista e sacrifício. Podem tentar mudar isso, mas não para um homem de verdade.

Para o homem, começar uma família significa procurar e agir. Isso significa que, para casar-se com a princesa da torre, é você quem precisa encontrá-la! Com essa postagem espero te ajudar nessa busca.


1. Qualidades e compatibilidade


Não há problemas em estabelecer qualidades e características mínimas desejadas para a pessoa que você quer ter como parceira. Mas esteja atento aos próprios critérios. Por exemplo: você pode procurar uma moça que seja compreensível, mas isso é mau se você quer, com isso, uma carta branca para não se preocupar em acertar nunca. Não há nada de errado em escolher uma garota pela sua beleza, mas é errado escolhê-la para mostrar aos outros que consegue namorar uma gata.

Selecionar essas características é bom para que, na busca por uma boa pessoa para se ter ao lado, você consiga focar e avaliar. Mas não seja exigente demais. Não seja romântico ao ponto de esperar encontrar a moça perfeita, imaculada, sem defeito algum; e não se engane idealizando mulheres e ignorando defeitos sérios.

Assim como um mínimo de qualidades desejadas, estabeleça defeitos indesejáveis. Certamente você não quer, por exemplo, mulheres que você sabe que costumam meter galhos em outros homens. Sinta-se no direito de não aceitar mulheres assim. Mas novamente, não seja mesquinho. Coloque critérios verdadeiros. Não dispense uma boa mulher por causa de um defeito que você não suporta por preguiça, frescura ou covardia.

Fora as qualidades, não deixe de notar aquilo que é compatível entre você e a moça. Isso importa de verdade. Mas aqui também pode haver mesquinharia. Não exija compatibilidade em tudo e principalmente naquilo que não precisa ser compartilhado. Não exija que ela goste de rugby, por exemplo, se você busca uma moça delicada. Por que essa compatibilidade importaria realmente?

Se fosse necessário hierarquizar isso tudo, aconselharia que você busque primeiro a compatibilidade - principalmente de valores - e em segundo lugar as qualidades mínimas.



2. As princesas não estão nos pântanos

Procure alguém para você nos ambientes que correspondem às qualidades que você procura. É claro que um lugar vulgar, como uma festa, pode ser frequentado por garotas boas de verdade, mas é melhor procurar em um lugar onde elas estão via de regra. 

Isso nos leva a concluir o óbvio: não procure seu amor em um lugar que vai contra o que você espera de uma garota. 

Também não há problema em buscar uma boa mulher nos lugares menos óbvios, mas se você quer fechar o funil, vá aonde elas certamente estão. 




3. Conheça a família

Se você pode conhecer a família dela, faça isso. Entre seus pais e irmãos e na relação dela com os familiares, você pode conhecer mais daquilo que ela levará ao altar.

Isso não quer dizer que, por exemplo, se o pai dela for um canalha, ela será igualmente canalha. É necessário avaliar como ela encara a própria família e o que ela toma disso para a própria vida. Apesar disso, é possível garantir que uma família boa e estruturada é um ponto positivo. Não é a determinação da escolha, mas é um ponto positivo.


4. Beleza? Tem certeza?

Ela é a garota mais bonita da escola? Ela é feia? De onde você tirou a imagem para julgá-la?

As mulheres, mais que os homens, fazem verdadeiras transformações para parecerem mais bonitas. Isso é bom para uma situação de conquista, onde as qualidades devem estar evidentes, mas você quer alguém que fique com você para sempre.

Acostume-se a dar o segundo passo: conheça a moça atrás da maquiagem. Isso vale para a beleza, mas não só para isso. 

O contrário também vale. Pessoas realmente bonitas podem estar feias e desfavorecidas no momento que você as conhece. Nesse caso, conheça a garota fora do trabalho ou vestindo outra coisa além daquele uniforme.

No fim das contas, você estará prestando atenção naquilo que vai permanecer no "para sempre". É isso que importa.


5. Valores

Nunca escolha aquela garota bonita e legal que não compartilha dos teus valores. Sem uma sintonia de valores, vocês não só vão entrar em conflitos constantes, mas provavelmente nunca vão entrar em sintonia em mais nada que realmente importa.

Sua parceira deve criar um projeto de vida que te inclua e vice-versa. Se não há isso, não há casamento. Então em que você estaria investindo?


6. Sobre ela te amar

Uma das coisas que podem matar as chances de alguém te amar é se vitimizar e se prender a um complexo de inferioridade. Sempre escutamos cretinos dizendo que "mulheres não gostam de tipos como você", "para conquistar uma mulher você vai precisar de mais 20cm de braço" ou "nenhuma mulher é tão certinha como você quer". Essa é a versão masculina do clássico "nenhum homem presta", que sempre ouvimos de mulheres que escolhem péssimos homens para se relacionar. 

Procurando uma moça certa para você, esqueça tudo isso. Mulheres não "gostam disso" ou "preferem aquilo", por que existem muitas mulheres diferentes com objetivos diferentes e referências de muitos tipos. É claro que existe alguém para você. 

É normal que elas aceitem conhecer um homem melhor, e é muito possível que elas se apaixonem pelo seu tipo. A única condição é que você não seja uma farsa. Ser um "tipo interessante para as mulheres" geralmente é tomado como ser um tipo genérico para mulheres genéricas. Ninguém pode ser interessante assim! Ser interessante presume ser alguma coisa de verdade. É o seu objetivo mostrar o que você é.

Mas se ainda há algo que você deve buscar ser para as mulheres (não parecer), é um homem. Mesmo atualmente, quando o que importa é a dissolução dos gêneros, agir como um bom homem favorece sua "atratividade". Mulheres heterossexuais não buscam mulheres ou meninos no corpo de homens barbados. Se alguma delas faz isso (existem muitas mulheres diferentes...), meu conselho é que você não vá atrás dela. É normal que avançando na masculinidade você se torne mais atraente, por que estará sendo aquilo que uma mulher busca basicamente em um homem. É parecido com nossa atração por características femininas em uma mulher, e o fator repelente de características masculinas nelas.

Se você age com sinceridade e se abre para uma boa mulher, só duas coisas podem acontecer: ela vai amar você, e isso não é um acontecimento raro, ou ela não vai amar. No último caso, siga adiante. 


7. Namore


Busque namorar quem você quer junto de você. Dedique um tempo da sua vida nesse relacionamento. Isso é muito importante por alguns motivos:


  • Você não pode conhecer alguém sem entrar numa relação com essa pessoa. E você não pode casar com alguém que não conhece minimamente bem.
  • O namoro modifica as duas partes, alinhando os projetos de vida e culminando no casamento. Se isso não ocorrer, algo está errado. 
  • Namorando, ficam evidentes os defeitos e as qualidades dela. 
  • Namorando, ela pode gostar ou não de você e deixar isso claro.
  • No namoro você busca compromisso com a outra parte, mas não está compromissado o suficiente para que nada possa dar errado. 

Quando você casar, deve conhecer bem a sua parceira para lidar com seus defeitos (que vão sempre existir), mas o processo de conhecimento e modificação continua. Se você pular a fase do namoro, o compromisso pesará sobre esse processo, o que dificulta muito as coisas.


8. Enfim

Deixei por último o mais importante. Aqui está o que não deve ser observado primeiramente, mas que no frigir dos ovos será o essencial:

Você está disposto a amá-la pelo resto de sua vida?

Família não é um projeto pessoal, mas de um casal que se ama. Se uma parte do casal ama a outra, está disposto a sacrificar-se e se modificar pela felicidade do outro. Se as duas partes se amam, constroem um projeto em comum. Como pode haver uma família saudável sem isso? Que homem não se sacrifica pela sua mulher e filhos? Que esposa não dá tudo que tem para a felicidade da casa? 

Como você pode cumprir apenas uma parte desse "acordo", procure uma mulher a quem você ame e conquiste-a sempre. Todo o resto do que foi dito importa, é verdade. Mas nada é mais importante que isso.

Escolha pelos critérios certos, invista de maneira saudável e, por fim, ame. Não há pieguismos aqui, só aquela prática normal de entregar-se ao outro pelo casamento e formar uma família comum. Isso não te parece improvável, parece?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem vindo!