terça-feira, 31 de março de 2015

Para seus filhos: 3 idéias de brinquedos que quase não custam (e como montá-los)

Já é quase senso comum que crianças gostam de brincar com aquilo que, por nós, iria pro lixo. Isso é assim por causa da capacidade delas de completar a inutilidade dos objetos com a imaginação, dando formas a diferentes mundos e situações. Estimular essa simplicidade enquanto é tempo significa economia de dinheiro em brinquedos fúteis, mas que em algum momento podem se tornar extremamente atraentes para os pequenos. Esse estímulo se torna necessário quando se percebe o quanto essas experiências são uma fonte rica de conhecimento e valores para os garotos. Basta lembrar destes momentos na sua infância para que isso fique claro.

Sozinhas, as crianças podem demonstrar grande criatividade e independência, inventando seus próprios brinquedos de materiais simples. Ainda assim, é saudável mostrar para elas algumas possibilidades, aproveitando as oportunidades certas para a educação moral, cognitiva e física. 




Aqui estão algumas dicas de brinquedos bastante viris para você construir com seus filhos meninos.
Talvez você também possa querer considerar estes pontos:

  • Monte junto com o seu filho. Deixe-o ver e acompanhar cada ação de montagem do brinquedo e fazer ele mesmo quando você achar que é possível. Se preferir, permita-o fazer o próprio brinquedo, enquanto você faz um "modelo" que ele vai imitar.
  • Deixe ele brincar sozinho ou com os amigos. Você não precisa, por regra, brincar com o garoto. Você pode acompanhá-lo, assisti-lo e mostrar aprovação. Como pai, seu papel é possibilitar essas experiências infantis, ensiná-lo e protege-lo.
  • Dê materiais e liberdade. Não ensine o garoto a brincar para depois restringir isso por motivos mesquinhos. Dê ao menino, quando possível, materiais para que ele continue construindo seus próprios brinquedos, agora que você já ensinou. Também dê espaço e liberdade para que a brincadeira não seja uma constante frustração.

1. Soldado de Papelão


O que é: Armas, armaduras e escudos feitos de papelão.

O que é necessário: Pedaços de caixas de papelão, muita fita adesiva e tesoura.

Como fazer: É muito fácil. Dobre os pedaços de papelão com os formatos que quer e prenda com a fita adesiva para que fiquem fixos. Para uma espada, por exemplo, dobre o papelão até que fique firme e alongado e não se envergue com facilidade. Use a fita para prender tudo, e terá uma espada resistente, que não machuca e que pode ser enfeitada de muitas formas. 
Você pode fazer escudos, colando camadas de papelão em formato circular uma por cima da outra e recortando um espaço para as mãos que o seguram. Use a criatividade para as diferentes partes da armadura, que podem ser presas ao corpo por tiras de papelão coladas às peças com a fita adesiva.

Como brincar: Sozinho ou com amigos, o garoto pode criar criar suas próprias regras de luta, simular campeonatos de gladiadores, guerras e treinamentos. 

O que ensina: É excelente para a educação física e motora; valores de coragem e segurança; Em grupo, ensina o trabalho em time; respeito; honradez e amizade.

Quando meu irmão inventou essa brincadeira empolgou todos os amigos do condomínio. Todos vibravam quando descobriam que podiam passar horas nos combates fictícios que promoviam. Com o tempo a coisa ficou complexa, cheia de regras criadas por eles. As ferramentas de guerra também evoluíram, com muitas partes de armaduras e diferentes tipos de armas cada vez mais resistentes e efetivas, numa saudável competição pelos melhores equipamentos.

2. Milho no alvo


O que é: Arma de cano que atira milhos.

O que é necessário: Cano (PVC ou outro tipo resistente), elástico/cordão/fita adesiva e bexiga.

Como fazer: Mais fácil ainda. Envolva um dos lados do cano com a bexiga e prenda bem com o elástico, cordão ou fita adesiva. Você pode prender outro cano menor para que seja um visor.

Como brincar: Coloque um milho dentro do cano, puxe a sobra da bexiga esticada segurando o milho e solte.
Essa brincadeira é ideal para um treino de mira com alvos, em competição com os amigos.

O que ensina: Esse é um ótimo treinamento para mira e coordenação motora; percepção dos elementos ao se tentar acertar o alvo; segurança; persistência e relação com o fracasso; competitividade.

Na verdade esse brinquedo já está no domínio público das brincadeiras infantis.

3. Fazenda de Comida


O que é: Uma fazenda com animais comestíveis.

O que é necessário: Palitos de fósforo, frutas/legumes/verduras, água e pedras.

Como fazer: Escolha um lugar para seu filho brincar. Dê preferência à ambientes externos, grama, terra e areia. Cubra uma parte do espaço com pano, para marcar onde os animais irão ficar (indique para a criança como o curral, chiqueiro, galinheiro, etc) e impedir que os alimentos se sujem e sejam desperdiçados.
Pegue os alimentos escolhidos (com a casca) e espete com palitos de fósforo, formando as pernas dos animais.
Cave um lugar para um lago pequeno, enfeite com as pedras e use a caixa de fósforos para a casa da fazenda.

Como brincar: O garoto pode criar situações que envolvam a fazenda e os animais, relacionando-se com as fazendas dos vizinhos (seus amigos), e promovendo trocas. O interessante da brincadeira é que os animais podem ser abatidos (literalmente comidos), e por serem desejados ganham valores reais.

O que ensina: Contato com a natureza; conhecimentos de fazenda; relacionamentos com vizinhos e amigos; valores econômicos básicos, como valor dos produtos, propriedade, troca, etc.


Com essas brincadeiras ou suas variações, seus filhos podem ganhar uma boa base para criar novas. Com os colegas essa inventividade é catalisada, e isso tudo sem gastar quase nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem vindo!